Sistemas de Tratamento de água

Slider

ABRANDAMENTO POR TROCA IÔNICA

ABRANDAMENTO é o processo químico através de troca iônica onde os íons de cálcio e magnésio, responsáveis pela dureza da água e causadores das incrustações, esses são substituídos por íons solúveis de sódio.

Essa troca se processa através da passagem da água por um leito de resina trocadora
de íons do tipo catiônica forte, operando em ciclo sódio, onde os íons de cálcio e magnésio são retidos pelos grânulos da resina que libera íons de sódio solúveis.

O volume de resina utilizado no processo possui uma capacidade de troca calculada. Finda essa capacidade, ou seja, o volume de água tratado em um determinado período, é necessário procedermos a regeneração do leito de resina.

Essa operação de aproximadamente duas horas de duração consiste em quatro fases:

1ª fase – retrolavagem em sentido contracorrente;
2ª fase – introdução de solução de salmoura a 10% através de um ejetor hidráulico movido pela força da água de diluição que succiona de um tanque a solução de salmoura concentrada a 23%;
3ª fase – lavagem lenta para remover o excesso de regenerante;
4ª fase – lavagem rápida ou pré-operação.

O ciclo operacional é obtido pela conjugação de variáveis como a vazão de água a tratar a dureza total expressa em CaCO 3 , o nível de regenerante adotado, a capacidade de troca por litro de resina e a taxa volumétrica.

Os abrandadores são vasos pressurizados, em formato cilíndrico vertical, construídos em aço carbono revestido com epóxi de alta espessura, ou totalmente em fibra de vidro com internos em polipropileno.

Os abrandadores projetados, fornecidos e instalados pela Biosis Saneamento Ambiental são fornecidos completos incluindo válvulas de operação e instrumentação de controle das pressões, vazões de água de alimentação e de água de diluição da solução de salmoura concentrada bem como para totalização do volume de água tratado.

Filtro de Areia – Bifluxo

Remove sólidos em suspensão e reduz a turbidez
Fácil Operação
Baixo investimento e Mínima Manutenção
Ocupa pouco espaço
Vazões de 5,0 a 200,0 m³/hora


Os FILTROS DE AREIA – BIFLUXO operam em fluxo ascendente e descendente ao mesmo tempo como se fossem dois filtros em um só. Possuem leito filtrante composto de 4 camadas de pedregulho classificado por granulometria decrescente, uma camada de areia grossa e uma espessa camada de areia fina de rio lavada, seca e com granulometria adequada.
A filtração no range de 30 microns, efetuada nos dois sentidos, apresenta resultados excelentes mesmo em águas mal clarificadas.
Parte do leito superior de areia fina além de filtrar exerce pressão sobre os leitos inferiores evitando sua expansão pelo fluxo de água em sentido ascendente.
A retrolavagem dos leitos é realizada em duas etapas, baixo para o centro e total com a própria água de alimentação.
A alta taxa de operação permite reduzidas áreas de filtração, requerendo equipamentos mais compactos, mais econômicos, que somado a dispensa de linhas de retorno ou bombas de lavagem representa redução de investimento e custo operacional.
Construção robusta em chapas de aço carbono soldadas com revestimento interno em epóxi de alta espessura e pintura externa com epóxi após jateamento abrasivo permite uma excelente resistência e longa vida útil.
O quadro de manobras frontal com válvulas manuais ou automáticas e indicadores de perda de carga fazem parte do nosso escopo de fornecimento juntamente com o filtro e leito filtrante.

Filtro de Areia – Clássico

Remove sólidos em suspensão e reduz a turbidez
Fácil Operação
Baixo investimento e Mínima Manutenção
Ocupa pouco espaço
Vazões de 1,0 a 30,0 m³/hora


Os FILTROS DE AREIA – CLÁSSICO operam em fluxo descendente e possuem um leito filtrante composto de 1 camadas inferior (camada torpedo) de pedregulho classificado por granulometria 3,2 a 6,4 mm e uma camada de espessa de areia fina de rio lava, seca e com granulometria 0,45 a 0,55 mm.

A filtração no range de 20 microns apresenta resultados excelentes em águas bem clarificadas.

A retrolavagem do leito filtrante é realizada em etapa única, no sentido contracorrente, em vazão 1,5 vez a mais que a de operação de modo a permitir a fluidização do leito e a remoção eficaz dos sólidos retidos no espaço entre grão e superficialmente.

Utiliza água limpa para a retrolavagem e requer uma linha de retorno ou bombas centrifugas de baixa pressão.
. Construção robusta em chapas de aço carbono soldadas com revestimento interno em epóxi de alta espessura e pintura externa com epóxi após jateamento abrasivo permite uma excelente resistência e longa vida útil.
O quadro de manobras frontal com válvulas manuais ou automáticas e indicadores de perda de carga fazem parte do nosso escopo de fornecimento juntamente com o filtro e leito filtrante.

FILTRO DE CARVÃO ATIVO - BIFLUXO

Remove cloro, odor, sabor e matéria orgânica
Reduz a cor
Excelente Opção
Baixo Investimento
Vazões de 10,0 à 150,0 m³/hora

Opera em fluxo ascendente e descendente como se fossem dois filtros em um só.

Possui leito de carvão ativo vegetal das melhores procedências, em volumes apropriado a obter-se num tempo adequado de contato uma água tratada com redução de cor e matéria orgânica como isenta de odor, sabor e cloro residual.

A retrolavagem do leito filtrante é efetuada em duas etapas, do centro para baixo e  total, na mesma vazão e pressão de operação dispensando linhas de retorno ou bombas de lavagem, reduzindo o custo de implantação e operacional.

A alta taxa de operação permite reduzidas áreas de filtração resultando em equipamentos mais compactos e econômicos. 

Vaso pressurizado construído em aço carbono revestido com epóxi de alta espessura e coletores internos do tipo crepina ranhurada em polipropileno de alta eficiência e durabilidade.

Operação manual com quadro de manobras com válvulas esfera em PVC e indicadores de pressão tipo manômetro.

Opcionalmente operação automatizada incluindo instrumentação.

Filtro de Carvão Ativo – Clássico

Remove cloro, odor, sabor e matéria orgânica
Reduz a cor
Fácil Operação
Baixo Investimento
Vazões de 1,0 a 50,0 m³/hora


Opera em fluxo descendente com leito de carvão ativo vegetal das melhores procedências, em volumes apropriado a obter-se num tempo adequado de contato uma água tratada com redução de cor e matéria orgânica como isenta de odor, sabor e cloro residual.
A operação de limpeza do leito de matérias particuladas é efetuada por retrolavagem em contracorrente, na mesma vazão e pressão de operação dispensando linhas de retorno ou bombas de lavagem.
A alta taxa de operação permite reduzidas áreas de filtração resultando em equipamentos mais compactos e econômicos.
Vaso pressurizado construído em aço carbono revestido com epóxi de alta espessura sendo opcional em aço inoxidável ou fibra de vidro, com coletores/distribuidores internos do tipo crepina ranhurada em polipropileno de alta eficiência e durabilidade.
Operação manual em quadro de manobras com válvulas esfera em pvc e indicadores de pressão tipo manômetro.
Opcionalmente operação automatizada incluindo instrumentação.

Filtro de dolomita

Ajuste de pH de ácido para pH neutro
Remove sólidos em suspensão e reduz a turbidez
Fácil operação
Baixo Investimento
Vazões de 5,0 à 100,0 m³/hora

Os FILTROS DE DOLOMITA operam em fluxo descendente e possuem um leito filtrante composto de uma camada inferior (camada torpedo) de pedregulho classificado por granulometria 3,2 a 6,4 mm e uma camada espessa de dolomita granulada.

Promove o ajuste automático do pH em águas tratadas (pós filtração) ou de poços artesianos de ácido para neutro procedendo ao mesmo tempo uma remoção de sólidos em suspensão eventualmente ainda presente no líquido melhorando a turbidez.

A retrolavagem do leito filtrante é realizada em etapa única, no sentido contracorrente, com a mesma vazão vez a de alimentação e a remoção eficaz dos sólidos retidos no espaço entre grão e superficialmente.

Os filtros são dotados de um visor de nível do leito filtrante de dolomita com indicação do momento em que deverá ser completado ao leito pelo consumo da dolomita durante o processo.

Construção robusta em chapas de aço carbono soldadas com revestimento interno em epóxi de alta espessura e pintura externa com poliuretano alifático sobre fundo de fundo epóxi após jateamento abrasivo permite uma excelente resistência e longa vida útil.

O quadro de manobras frontal com válvulas manuais ou automáticas e indicadores de perda de carga fazem parte do nosso escopo de fornecimento juntamente com o filtro e leito filtrante.

Filtro Duplo Leito (Areia e Antracito)

Remove sólidos em suspensão
Reduz a turbidez
Fácil Operação
Baixo Investimento
Vazões de 1,0 a 100,0 m³/hora

Uma excelente opção em relação aos filtros com leito unicamente de areia pois, com taxas de passagens superiores em mais de 60%, permite equipamentos mais compactos, mais econômicos e reduzindo o consumo de água de retrolavagem.

Operando com taxas de filtração elevadas em fluxo descendente e possuindo um leito filtrante composto de uma camada inferior de areia de rio lavada e classificada e uma camada superior de carvão antracito mineral de alta porosidade permite obter-se água filtrando com range de retenção de 20 microns.

A operação de limpeza do leito de matérias particuladas é efetuada por retrolavagem em contracorrente através de linhas de retorno ou bombas de lavagem de baixa pressão

Vaso pressurizado construído em aço carbono revestido com epóxi de alta espessura, com coletores/distribuidores internos do tipo crepina ranhurada em polipropileno de alta eficiência e durabilidade.

Operação manual com quadro de manobras com válvulas manuais e indicadores de pressão tipo manômetro.
Opcionalmente operação automatizada incluindo instrumentação.

Filtro de remoção de Ferro e Manganês

Os FILTROS DE REMOÇÃO DE FERRO E MANGANÊS removem teores de ferro e de manganês de água de poços artesianos em etapa única, operando em fluxo descendente com um leito filtrante misto composto de areia de rio lavada e seca e composto de alta atividade catalítica a base de manganês tecnicamente selecionado, processado, esterilizado e ativado.

O volume do leito filtrante, com elevada vida útil de até 10 anos, é calculado de modo a permitir um tempo de residência mínimo de 6 minutos para se obter os resultados esperados.

Para águas destinadas ao consumo humano a aplicação de solução de hipoclorito de sódio antes da entrada no filtro acelera o processo.

Nos casos de água para processo onde o cloro é prejudicial, a não aplicação do mesmo em nada prejudica o resultado. A operação de retrolavagem deverá sempre ser efetuada com água limpa em vazão superior a 1,5 vez a de operação de modo a assegurar a total remoção do leito filtrante dos materiais retidos, uma vez que o peso especifico dos elementos filtrantes é bastante elevado.

Os filtros em formato cilíndrico vertical à pressão são de construção robusta em aço carbono revestidos com epóxi de alta espessura. Opcional em aço inoxidável ou fibra de vidro.

Quadro de manobras frontal com apenas quatro válvulas manuais, sempre duas abertas e duas fechadas facilitam a operação. Opcionalmente as válvulas poderão ser automáticas.

Indicadores de pressão, tipo manômetro, inclusos no fornecimento, permitem o controle da perda de carga para indicar o momento correto da retrolavagem.

TORRE DE AERAÇÃO

Remove ferro e manganês em água de poços
Reduz odores
Fácil operação com mínimo investimento.
3Leito de contato de baixo custo.
Vazões de 5,0 a 150,0 m³/hora.


Operando em fluxo descendente e possuindo um leito catalizador de carvão coque mineral remove ferro e manganês em água de poços e reduz odores em águas de rio ou lagoas quando instalada antes das ETAs.
Funcionamento automático e montada sobre uma bacia de contenção de onde a agua após passar pela torre deverá ser filtrada.
A alimentação do filtro deverá ser feita por bombas centrifugas que podem operar de modo automático por meio de sensor de nível instalado na bacia de contenção.
Para águas com teores elevados de ferro e/ou manganês torna-se uma opção bem interessante quando comparado ao custo de filtros de zeolita.
Construída em fibra de vidro com proteção contra raios UV para instalação ao tempo oferece resistência e grande durabilidade.
Pode tratar água mineral para redução dos teores elevados de ferro e ou manganês por não incluir processo químico no processo.
Para consumo humano recomenda-se aplicação de cloro na entrada do equipamento e para pH baixo a correção do mesmo com barrilha.
O momento da troca do leito de contato é visualizável pela mudança de cor do carvão coque pela retenção do ferro² oxidado pela ação da passagem de ar pelo intervalo entre as bandejas

TORRE DE REMOÇÃO DE CO²

Remove gás carbônico em água de poço.
Funcionamento automático.
Reduz custo operacional.
Vazões de 10,0 a 200,0 m³/hora.


Construída em fibra de vidro com proteção contra raios UV para instalação ao tempo assim como o ventilador centrífugo de alta vazão e baixa pressão oferece resistência, eficiência e grande durabilidade.
Altamente recomendável para unidades de desmineralização de água onde a prévia remoção do gás carbônico permite a redução do total de íons aniônicos a serem removidos.
Isso implica num menor volume de resina aniônica, reduzindo a dimensão da coluna de troca iônica e também impactando, de modo considerável, no custo operacional (menor consumo de soda por regeneração).
A coluna cilíndrica vertical da torre de aeração possui um distribuidor superior dimensionado para uma eficiente operação, grelha suporte do leito de contato, bocal de inspeção e de carga do leito de anéis de rashing em polipropileno além de bocais flangeados de entrada e saída.
A torre deve ser instalada sobre um reservatório de concreto armado revestido com fibra de vidro adequado a efluente ácido (pH 2,5) ou totalmente em PRFV.
O recalque para a coluna aniônica deverá ser efetuado por bomba centrifuga em material apropriado ao liquido a ser bombeado com funcionamento automático por sensor de nível instalado no interior do reservatório.

UNIDADE DE DESMINERALIZAÇÃO (DESMI)

Remove sais minerais presentes na água.
Destinada à alimentação de caldeiras de média ou alta pressão.

Configurações de operação manual ou automática:
1) Trocador de cátions e trocador de ânions;
2) Trocador de cátions e trocador de ânions + leito misto polidor;
3) Trocador de cátions, torre de remoção de CO2 e trocador de ânions;
4) Trocador de cátions, torre de remoção de CO2 e trocador de ânions + leito misto polidor;
5) Trocador de leito misto.

O controle da qualidade da água tratada é feita por meio de uma sonda instalada na  linha de saída de água tratada conectada a um condutivímetro. Todos os vasos de pressão são calculados, projetados e construídos conforme norma ASME CODE
SECTION VIII DIV. 1.

Fale conosco

(11) 2613-8928
(11) 97577-3746

biosis@biosis.eco.br

Onde nos encontrar

Av. Gen. Valdomiro de Lima, 647
Jabaquara – São Paulo – SP
CEP 04344-070